UM BOCADINHO DE VIVER EM PORTUGAL

Sou Anna Maria Salustiano, nascida na cidade de Limoeiro, interior de Pernambuco, jornalista pela Universidade Católica de Pernambuco, Mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco UFPE-Brasil, professora, aprendiz, estudante de Doutoramento, na Universidade Lusófona, em Lisboa

 

Por Anna Salustiano

 

Torres Vedras conta com centro de interpretação da presença judaica

Arqueologicamente, a presença de judeus em Portugal está confirmada desde o século II, encontrando registros que documentem a presença no século X. Nesta época, já existiam comunidades notáveis nas principais cidades. No reinado de Dom Afonso Henriques, por exemplo, aparecem vários judeus ligados à Corte, com destaque para o rabi-mor, Yahia Aben-Yaisch.

Desde cedo, Portugal reconheceu e organizou a liberdade comunitária judaica. Comunidade essa que vivia sob a tutela e proteção régia, através de um rabi-mor designado pelo rei. Mesmo com a organização, os judeus tinham maiores obrigações fiscais que os cristãos e estavam privados de alguns direitos.

Era lhe permitido ter atividades comerciais, financeiras e artesanais. Alguns conseguiram altos cargos públicos, uns tantos resolveram se dedicar à ciência e às artes, com ênfase na medicina, astronomia e astrologia. Os judeus portugueses viviam nas áreas urbanas, em judiarias ou alfamas, integrando-se à vida bairrista e cumprindo as normas pré-estabelecidas. Passado o tempo, algumas judiarias foram fechadas, como resultado das medidas segregacionistas das monarquias.

Os registros dos séculos XIV e XV mostram que a população judaica quintuplicou, devido às imigrações causadas pelas expulsões em Inglaterra, França, Aragão, Catalunha e Castela.

Em Torres Vedras, aldeia de Portugal que até hoje, é conhecida pela influência judaica, registra referências da segunda metade do século XIII e nos dizem que a comunidade era bem organizada, estruturada em relação ao poder régio e próspera, o que nos leva a pensar que antes da fundação do reino já existiam judeus no local. Os primeiros que se tem notícia foi um casal, Moisés e Aviziboa que foram citados em uma escritura no ano de 1269. Mas a primeira menção a comunidade só se deu sete anos depois.

Breve História – Judeu é um povo nômade e semita, que segundo as escrituras, descende da tribo de Judá, uma das 12 tribos de Israel, cujo patriarca é Abraão. Com a expansão do Império Romano, por volta do século I, o cristianismo foi considerado a religião oficial do império, o que levou a marginalização e a diáspora dos judeus para o Oriente, África e Europa.

Para quem ficou interessado, o Centro de Interpretação da Presença Judaica, enquadra-se no projeto, Rota Sefarad: Valorização da Identidade Judaica no Diálogo Interculturas e está localizado no Largo Coronel Morais Sarmento, ao pé do Castelo de Torres Vedras. Telefone da Unidade Nacional de Gestão para mais informações: + 351 218 801 175

 

Texto : Anna Salustino/Especial para AgênciaJCMazella

Foto reprodução: Anna Salustiano/Especial para AgênciaJCMazella

Parceria: https://o-tuga.com/

Deixe seu comentário