UM BOCADINHO DE VIVER EM PORTUGAL

Sou Anna Maria Salustiano, nascida na cidade de Limoeiro, interior de Pernambuco, jornalista pela Universidade Católica de Pernambuco, Mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco UFPE-Brasil, professora, aprendiz, estudante de Doutoramento, na Universidade Lusófona, em Lisboa.

 

 

O esplendor de Hallstatt, uma aldeia dos alpes austríacos

 

Por Anna Salustino

 

Parece que estamos imersos em um filme. Visitar Hallstatt, na Áustria, tem um significado que compactua com  um universo mágico, o universo de um espetáculo, em que a natureza é a personagem principal, e a mão humana assume o papel de coadjuvante.

Ouvir o barulho de pássaros, contemplar as águas do lago que contornam o local, admirar as flores nas sacadas, observar o movimento dos poucos barquinhos que carregam os turistas e olhar atentamente o sobe e desce do bondinho elétrico que levam as pessoas até a mina de sal, fazem daquela aldeia um lugar quase que inalterado com as tantas tecnologias que nos rodeiam.

Estar em Hallstatt é se desprender de qualquer interferência, é viver naturalmente o lugar, se perder nas poucas ruas, e deixar que o olhar vaguei até onde à vista alcança, se é que ela alcança.

Aliás, é tanta beleza que escorre a nossa frente sem que percebamos de fato, o que houve. Sentar-se na grama, ou deitar-se, ou brincar, como achar melhor, nos leva a passados não tão distantes em que a vida pulsava de maneira real, crua, mais humana. Não sei se me faço entender, mas é que é mesmo difícil encontrar palavras que definam com tanta precisão o que aos nossos olhos fogem devido a tanta beleza exposta na frente.

Encantamento à parte, o nome da aldeia vem da produção de sal, e em 1997, foi declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco, no conjunto denominado paisagem cultural de Hallstatt-Dachstein, Salzkammergut.

A atividade humana por lá, remonta a pré-história, com depósitos de sal explorados desde o segundo milênio antes de Cristo.

A beleza real/cinematográfica é tanta, que em 2011 uma companhia estatal chinesa, Minmetals Land, construiu uma cópia desta aldeia na província de Cantão, no sul do país. Como cópias nem sempre conseguem reproduzir o original com tanta verossimilhança, Hallstatt continuará como narrativa única deste caminho chamado vida.

Texto : Anna Salustino/Especial para AgênciaJCMazella

Foto reprodução: Anna Salustiano/Especial para AgênciaJCMazella

Parceria: https://o-tuga.com/

COMMENTS

Deixe seu comentário